Exames e Orientações

Faça sua busca navegando nas iniciais abaixo, depois clique no exame desejado para mais informações:

A
B
C
D
E
F
G
H
I
J
K
L
M
N
O
P
Q
R
S
T
U
V
W
X
Y
Z
1
2
3
4
5
6
7
8
9

>> ÁCIDO HOMOVANÍLICO

Código: AHOMO

Material: urina 24 horas

Sinônimo: HVA

Volume: 20.0 mL

Metodo: Cromatografia Líquida de Alto Desempenho (HPLC)

Volume Lab.: 10,0 mL

Rotina: 3ª e 5ª feira

Resultado: 7 dias

Temperatura: Sob refrigeração

Coleta: Para a determinação de ácido vanil mandélico e ácido homovanílico, a amostra deve ser coletada em frasco limpo contendo 10 mL de uma solução de HCl à 25%. Amostras coletadas com ácido e mantidas refrigeradas a 2-8°C são estáveis por até 5 dias. Amostras coletadas com ácido e mantidas congeladas a -20°C são estáveis por até 2 meses. Todas as amostras com solicitações para esses exames terão seu pH conferido pelo laboratório. Caso o pH da amostra seja superior a 4, a amostra será analisada sob restrição devido a possível ausência do conservante. Uma observação será colocada no laudo. Orientações: - Anotar todos os medicamentos em uso pelo paciente - Dose e tempo de uso. - O paciente deverá permanecer 12 horas sem ingerir álcool, fumo, e refrigerantes a base de cola . Exemplo: Coca-cola e Pepsi. -O paciente deverá permanecer 7 dias sem ingerir os seguintes medicamentos: alfa metil dopa, descongestionantes nasais, bronco dilatadores, tetraciclina, clorpromazina, quinidina.

Código SUS:

Código CBHPM: 4.03.05.12-0

Interpretação: Uso: diagnóstico e monitoramento de tumores produtores de catecolaminas. O ácido homovanílico (HVA) é o principal metabólito da dopamina. Sua excreção encontra-se aumentada nos casos em que a dopamina é fabricada em excesso, como nos tumores produtores de catecolaminas (neuroblastomas, ganglioneuroblastomas e feocromocitomas) e distúrbios esquizóides do comportamento. Em todos os casos, a liberação de dopamina e o conseqüente aumento de excreção de HVA pode ser intermitente. De modo geral, os neuroblastomas são diagnosticados em crianças e alguns casos com diagnóstico precoce podem ser tratáveis. Estas patologias, assim como os feocromocitomas, são associadas à liberação de catecolaminas, em especial a epinefrina e seus precursores. O diagnóstico destas patologias é mais bem realizado utilizando-se diferentes marcadores como HVA, ácido vanil mandélico (VMA) e catecolaminas urinárias, uma vez que em alguns casos é possível o encontro de apenas um destes marcadores alterado. Interferentes: álcool, café, chá, tabaco, exercícios intensos no período anterior e durante a coleta.

Referência: Idade; 3 a 6 anos: 1,4 a 4,3 mg/24hrs; 6 a 10 anos: 2,1 a 4,7 mg/24hrs; 10 a 16 anos: 2,4 a 8,7 mg/24hrs; adultos: 1,4 a 8,8 mg/24hrs. Atenção: Novos valores de referência para adultos a partir de 07/11/11: adultos: até 6,9 mg/24 hrs

A Empresa

Em 1º de agosto de 1971, o Laboratório União iniciava suas atividades em análises clínicas em Pelotas, pelos sócios fundadores, Dr. José Wellington Martins Motta e Dr. Dacy Vareira, ambos professores universitários.

Notícias

11/08/2016 - VITAMINNA D E DIABETES MELLITUS

11/08/2016 - Estudos comprovam o efeito anti-inflamatório da prática de exercícios físicos

Newsletter

Cadastre-se para receber as novidades do Laboratório diretamente em seu e-mail.

Endereço

Praça Piratinino de Almeida, 20
(Praça Santa Casa c/ Neto) - Pelotas | RS

Telefones

(53) 3225-1201 | (53) 3303-4470